sábado, 1 de novembro de 2014

Prefeito é acusado de vandalismo e agressão

Na manhã de ontem, um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado na delegacia de Polícia Civil contra o atual prefeito de Magalhães Barata, no nordeste do Pará.
Raimundo Faro Bittencourt, conhecido na política por “Bujaru”, do PSDB, é acusado de ter chefiado o arrombamento de uma rádio e de ter danificado vários objetos, além de ameaçar e agredir verbalmente e fisicamente pessoas que se encontravam no interior do estabelecimento. O gestor teria ficado descontrolado depois que a filha dele foi denunciada por ouvintes.
Segundo o radialista Noelson Botelho, algumas pessoas já haviam denunciado que a filha do prefeito, Juliana Borges Bittencourt, que seria fisioterapeuta, não estaria cumprindo com suas obrigações em seu local de trabalho. Por volta das 10h de ontem, um homem identificado pelo prenome de Raiol, decidiu ir até a rádio comunitária Planalto FM, situada no centro de Magalhães Barata, para denunciar a falta de atendimento ao público.
RECLAMAÇÃO
Raiol, ao vivo, disse que a filha do prefeito não comparecia no posto de saúde para trabalhar e que pessoas estariam se deslocando para outros municípios da região em busca de sessão de fisioterapia. “Eu estava no estúdio quando ouvi um barulho. Fui verificar o que estava acontecendo e me deparei com o prefeito na recepção”, contou.
Consta no Boletim de Ocorrência (BO) que o prefeito teria arrombado a porta da frente com pisões e invadido a rádio e quebrado uma mesa de áudio, caixas de som, bem como outros objetos de valor. Raimundo Faro, o “Bujaru” e mais três homens conhecidos por “Teco”, “Toca” e “Gemada”, que seriam seguranças e que estavam com bonés escrito “Força Bruta”, teriam jogado o ouvinte no meio da rua e aplicado socos e chutes que provocaram hematomas por várias partes do corpo da vítima.
O prefeito teria ofendido o ouvinte com palavras de baixo calão e ameaçado de morte membros da rádio comunitária Planalto FM. “Ele nos ameaçou de morte e disse que agora vai ser respeitado na base da porrada”, disse o radialista Noelson.
Após o registro do BO, por volta das 13h, outro radialista tocou no assunto e mais uma vez o prefeito teria invadido o local e realizado outro quebra-quebra, na companhia de mais capangas. No segundo episódio de vandalismo, Raimundo Faro teria tido a ajuda de secretários e de alguns vereadores da câmara municipal.
A qualquer momento o delegado que preside o inquérito poderá intimar os acusados para que os mesmos deem explicações sobre o caso. A direção da rádio pede o ressarcimento do material que foi danificado. O DIÁRIO não conseguiu contato com os acusados para tratar do assunto.
(Diário do Pará)

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Dez senadores receberam doações de assessores

Pelo menos 56 assessores parlamentares contribuíram com doações para a campanha de seus respectivos senadores nesta eleição. Juntos, eles doaram cerca de R$ 230 mil para os seus chefes. O maior beneficiário foi o senador Mário Couto (PSDB-PA), que arrecadou R$ 71 mil entre nove funcionários – tudo em espécie. O valor corresponde a um quinto do total informado pelo tucano na segunda parcial de sua prestação de contas divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar do esforço dos assessores, o senador não conseguiu se reeleger.
As maiores contribuições para Mário Couto foram feitas por Hanny dos Santos e Paulo Roberto Pena. Com salários de R$ 12,8 mil, eles doaram R$ 12 mil cada. Hanny afirma que a sua doação foi totalmente espontânea. “E acredito que a dos outros também”, disse. Segundo ela, a contribuição não prejudicou o seu orçamento, apesar de ter sido um valor maior do que o seu salário líquido. “Tenho umas economias”, justifica.
A assessora explica por que fez a doação: “Era uma questão de honra a reeleição do senador, com quem trabalho desde 2003. A minha doação foi mais uma forma de demonstrar a minha gratidão por ele. Fiz e faria tudo de novo”.
A existência da caixinha eleitoral no Parlamento é o principal destaque da Revista Congresso em Foco, cuja 13ª edição começa a circular. O valor das contribuições e o total de senadores beneficiados podem ser ainda maiores, já que o levantamento foi feito antes da prestação final de contas dos candidatos. Os parlamentares têm até 4 de novembro para entregar os dados ao TSE. A reportagem, no entanto, revela que essa prática foi bastante comum entre os congressistas nessa eleição.
As doações por assessores não são vedadas pela legislação eleitoral, mas representam uma vantagem dos parlamentares em relação a candidatos que não detêm mandato. Por lei, pessoa física pode doar valor correspondente a até 10% dos rendimentos que declarou à Receita Federal no ano anterior.

Sindpol cobra reformulação na segurança pública

Diante dos números alarmantes que apontam o crescimento constante da violência no Estado, o Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil do Pará (Sindpol) não vê outra solução para o problema da violência no Estado se não uma reformulação geral na política de segurança pública aplicada hoje. Com o registro de 3.150 mortes violentas no Estado até o último dia 28 de outubro e a estimativa de que apenas 8% dos homicídios sejam solucionados no Pará, a categoria aponta que é necessário muito mais do que a contratação de novos policiais para solucionar o problema.
Divulgada durante a propaganda eleitoral como proposta para a área de segurança pública no Estado, a contratação via concurso público de 2.000 policiais militares e 500 policiais civis não são suficientes, para o Sindpol, para mudar a realidade de insegurança enfrentada hoje pela população. Segundo o presidente do sindicato, Rubens Teixeira, as mudanças precisam alcançar também a estrutura de trabalho oferecida aos policiais.
“Ficou comprovada que a política de segurança pública que foi colocada em prática até 2014 não deu certo. Foi uma política falida, onde foi evidenciado pela mídia e pela própria Polícia Civil que o índice de crimes aumenta ano a ano drasticamente”, avalia. “O que a gente espera é que essa política seja de fato atualizada e resolvida não só fazendo concurso”.
Estimando que seriam necessários mais 2.000 policiais civis para suprir o déficit de efetivo em todo o Estado, Rubens aponta que as delegacias funcionam atualmente sem a estrutura ideal. “Seria necessário que cada uma das delegacias funcionassem com um delegado, um escrivão e um investigador e hoje a maioria não tem essa estrutura”, aponta. “O concurso é importante para nós porque não temos policiais suficientes, principalmente no interior do Estado, mas só isso não resolve”.

DADOS
Segundo os dados do Relatório de Registros de Ocorrências Policiais do Estado, ao longo de 2014, até o dia 28 de outubro, o Pará manteve uma média de 10 assassinatos por dia, dentre homicídios e latrocínios. Se analisado o total de assassinatos, o Estado vem apresentando crescimento no número de ocorrências desde 2011. Com ainda dois meses para encerrar o ano, os registros de homicídios em 2014 - 3.026 até outubro - já se aproximam do observado ao longo de todo o ano de 2013, quando foram registrados 3.799 casos.
“Se a política de segurança pública do Estado não for reformulada, vamos perdurar nessa lamúria e sofrimento por conta da violência”, acredita Rubens. “É preciso que se pense a segurança pública desde a política social. É preciso que entre no seio das famílias desestruturadas e ampare para que aquela criança não seja aprendiz de marginais nas ruas. É preciso que o Estado faça a sua responsabilidade”.
(Diário do Pará)

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Lula admite volta em 2018

O ex-presidente Lula afirmou a pessoas próximas que concorrerá a um novo mandato de presidente em 2018, informa o jornal Folha de S. Paulo. Além disso, que tentará interferir mais no governo de Dilma Rousseff. No primeiro mandato, ele esteve mais distante que o esperado da administração petista, motivado também pelos seus problemas de saúde.
De acordo com o jornal, Lula deu conselhos a Dilma e foi pouco ouvido. São citados como conselhos não seguidos a substituição de Guido Mantega no Ministério da Fazenda e de Arno Augustin como secretário do Tesouro Nacional. Um mandato impopular de Dilma dificultaria as chances de ele se candidatar em quatro anos.

Justiça italiana nega extradição de Henrique Pizollato

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (28) que a decisão da Justiça italiana de rejeitar a extradição de Henrique Pizzolato é “uma vergonha” para os brasileiros. Na decisão da Corte de Apelação de Bolonha, os juízes entenderam que os presídios nacionais não têm condições de garantir a integridade do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil.

Segundo o ministro, o entendimento da corte italiana sobre a dignidade do preso no Brasil “é procedente”. “O motivo foi não termos penitenciárias que preservem a integridade física e moral do preso. Para nós, brasileiros, é uma vergonha. Ele exerceu o direito natural de não se submeter às condições animalescas das nossas penitenciárias.”, disse o ministro.

Pizzolato foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Ele fugiu para Itália em setembro do ano passado, antes do fim do julgamento, e foi preso em fevereiro em Maranello (Itália). Em junho, a corte iniciou o julgamento, mas suspendeu a sessão para solicitar esclarecimentos do governo brasileiro sobre as condições dos presídios nacionais.

Em resposta ao governo italiano, a Procuradoria-geral da República e o Supremo informaram que teriam condições de garantir a integridade de Pizzolato. Ele deveria ficar preso no Presídio da Papuda, no Distrito Federal, caso fosse extraditado.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Quem venceu a eleição nas 12 maiores cidades do Pará

Confira quem venceu a eleição para governador (2º turno) nos 12 maiores colégios eleitorais do Pará.

1 – Belém: 1 milhão de eleitores

Simão Jatene (PSDB): 63,58%
Helder Barbalho (PMDB): 36,42%
Quem venceu no 1º turno: Jatene (57,10%)

2 – Ananindeua: 264 mil eleitores

Simão Jatene (PSDB): 62,38%
Helder Barbalho (PMDB): 37,62%

Quem venceu no 1º turno: Jatene (57,01%)

3 – Santarém: 201 mil eleitores

Helder Barbalho (PMDB): 64,50%
Simão Jatene (PSDB): 35,50%

Quem venceu no 1º turno: Helder (68,64%)

4 – Marabá: 151 mil eleitores

Helder Barbalho (PMDB): 66,46%
Simão Jatene (PSDB): 33,54%

Quem venceu no 1º turno: Helder (67,44%)

5 – Parauapebas: 135 mil eleitores

Helder Barbalho (PMDB): 60,77%
Simão Jatene (PSDB): 39,23%

Quem venceu no 1º turno: Helder (64,29%)

6 – Castanhal: 112 mil eleitores

Simão Jatene (PSDB): 68,38%
Helder Barbalho (PMDB): 31,62%

Quem venceu no 1º turno: Jatene (65,92%)

7 – Abaetetuba: 99 mil eleitores

Simão Jatene (PSDB): 54,83%
Helder Barbalho (PMDB): 45,17%

Quem venceu no 1º turno: Jatene (53,94%)

8 – Cametá: 81 mil eleitores

Helder Barbalho (PMDB): 51,47%
Simão Jatene (PSDB): 48,53%

Quem venceu no 1º turno: Helder (52,04%)

9 – Bragança: 77 mil eleitores

Simão Jatene (PSDB): 64,76%
Helder Barbalho (PMDB): 35,24%

Quem venceu no 1º turno: Jatene (58,78%)

10 – Tucuruí: 72 mil

Helder Barbalho (PMDB): 61,40%
Simão Jatene (PSDB): 38,60%

Quem venceu no 1º turno: Helder (66,17%)

11 – Itaituba: 71 mil eleitores

Simão Jatene (PSDB): 50,51%
Helder Barbalho (PMDB): 49,49%

Quem venceu no 1º turno: Jatene (51,46%)

12 – Barcarena: 69 mil eleitores

Simão Jatene (PSDB): 58,09%
Helder Barbalho (PMDB): 41,91%

Quem venceu no 1º turno: Jatene (55,30%)

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Estado inicia pagamento dos salários de outubro nesta segunda-feira

O Governo do Estado inicia, nesta segunda-feira, 27, o pagamento dos servidores públicos da administração direta e indireta referente ao mês de outubro de 2014. Segundo o cronograma divulgado pela Secretaria de Estado de Administração (Sead), os inativos militares e pensionistas civis e militares serão os primeiros a receber. O pagamento será encerrado no próximo dia 31, com os servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), da capital e do interior. Abaixo, o calendário de pagamento:
 
Dia 27/10  (segunda-feira) - Inativos militares e pensionistas civis e militares; 
 
Dia 28/10 (terça-feira) – Inativos civis e pensões; especiais/Sead.
 
Dia 29/10 (quarta-feira) - Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria Geral, Defensoria Pública, Gabinete da vice-governadoria, Procuradoria Geral, NAF, Secretarias Especiais, Sepaq, Secti, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Sedurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Seas, Setran, Secom e Setur.
 
Dia 30/10 (quinta-feira) - Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, CDI, Ceasa, Cohab, CPC Renato Chaves, Detran, EGPA, Emater, FCG, Fundação Tancredo Neves, FCV, Fasepa, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Hemopa, IAP, Imetropará, Iasep, Igeprev, Imprensa Oficial, Iterpa, Jucepa, Paratur, Prodepa, Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp, Loterpa, CPH e NGTM.
 
Dia 31/10 (sexta-feira) – Seduc capital e interior
 

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Prisão de eleitores segue impedida até a próxima terça-feira

A partir desta terça-feira, a sete dias do segundo turno eleitoral, nenhum eleitor pode ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto. A regra, do artigo 236 do Código Eleitoral, valerá até 48 horas depois do fim das eleições.
De acordo com o TSE, “a medida restringe a uma única condição prévia a possibilidade de o candidato vir a se afastar da campanha por força de uma ação policial em determinado período do processo eleitoral”.
No caso dos candidatos, a vigência é ampliada: 15 dias antes do pleito, as autoridades não podem deter ou prender candidatos a cargos eletivos nas eleições gerais deste ano, salvo em flagrante delito. O candidato que concorrer ao segundo turno para presidente da República ou governador já não pode ser detido desde o dia 11 deste mês.
No próximo domingo, mais de 142,8 milhões de eleitores irão às urnas, em segundo turno, estima o TSE. Ao todo, 13 estados e do Distrito Federal também elegerão seus governadores.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Polícias Civil e Militar prendem autor de tentativa de homicídio em São Miguel do Guamá

As Polícias Civil e Militar de São Miguel do Guamá, nordeste paraense, prenderam Francisco de Assis Florenço, de 25 anos, conhecido como "João Grandão", por crime de tentativa de homicídio. Armado com um revólver calibre 38, ele disparou cinco tiros contra uma vítima, que estava em um bar junto com familiares, no município. Os disparos não atingiram a vítima.
As investigações mostraram que o crime foi motivado pelo fato de a vítima ter negado fazer um empréstimo financeiro ao acusado. Depois de ser acionada, a Polícia Militar, sob o comando do cabo Rodrigues, efetuou a prisão do acusado.
O delegado Ronaldo Lopes, titular da Unidade Integrada de São Miguel do Guamá, constatou que o acusado estava em liberdade provisória por ter sido preso pelo crime de roubo, em 2011. Francisco de Assis foi autuado em flagrante pelo delegado Ronaldo Lopes e está preso à disposição da Justiça.

Helder bate Jatene acima da margem de errro

O iVeiga, cuja margem de acerto nas medições que tem feito no Pará desde a sua constituição em 2010 é de 100%, e que repetiu tal margem nas medições do primeiro turno da eleição para o governo do Pará desse ano, publicou ontem (13) a sua primeira pesquisa de segundo turno:

Na pesquisa espontânea os brancos e nulos somaram 5,4% e 7,8% dos pesquisados responderam que não sabem ou não opinaram.


Na pesquisa estimulada os brancos e nulos somaram 5,3% e 5,7% dos pesquisados responderam que não sabem ou não opinaram.

Em tomando como base os resultados estimulados, Helder venceria a eleição com 52,9% dos votos válidos (excluídos os brancos, nulos e indecisos, método utilizado pela Justiça Eleitoral para proclamar o resultado).

O iVeiga mediu a rejeição dos candidatos. Embora os números apontem rejeição estatisticamente similar, numericamente, o governador Simão Jatene é mais rejeitado que Helder.

A pesquisa, registrada no TRE/PA sob o n° 00046/2014, foi realizada de 9.10 a 13.10 de 2014. Foram realizadas 1200 entrevistas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança estimado em 95%.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Polícias Civil e Militar capturam sete envolvidos em crimes em São Miguel do Guamá

As Polícias Civil e Militar de São Miguel do Guamá, nordeste paraense, capturaram sete homens envolvidos em crimes na região. Eles são acusados de praticar roubos, tráfico de drogas e furto. As prisões foram realizadas, durante as operações integradas ocorridas nos últimos dias. Um dos presos é Antônio Diego Rodrigues Chaves, 25 anos, de apelido “Diego Monstro”, acusado de ter roubado, pelo menos, quatro motocicletas na cidade. Ele estava atualmente na condição de foragido de Justiça por conta de condenação pela prática de roubo. Após ser capturado, ele foi transferido para um presídio do Estado. 

Outros três presos são acusados de envolvimento em esquemas de tráfico de drogas. Antônio Sirlei Fernandes de Lima, 24, foi flagrado com várias petecas de óxi. Ele estava em benefício de liberdade provisória, pois havia saído recentemente do presídio. Agora, volta ao regime fechado. Renato Pereira Moreira, 22 anos, e Waldecy Ferreira Gomes, 21, foram flagrados enquanto transportavam petecas de óxi desde Belém até São Miguel do Guamá. Eles também foram autuados por tráfico de drogas. 
Outros dois presos, Alexandre Carvalho Farias, de apelido “Graxa”, e Edson Renilson Gomes Miranda, ambos de 18 anos, respondem por roubo de telefones celulares. Eles foram presos em flagrante logo após terem roubado aparelhos em via pública. Já, por crime de furto, está preso Adonias Júnior da Silveira, 24, que havia praticado outros crimes na cidade. Ele teve mandado de prisão preventiva decretado pelo Poder Judiciário da cidade.

Delegados federais anunciam ato nacional para a próxima terça

Delegados Federais de todo o Brasil prometem realizar uma mobilização nacional em todos os Estados na próxima terça-feira, 14, em defesa de maior autonomia da Polícia Federal. Segundo nota da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (Adpf) divulgada nessa sexta, a mobilização servirá para discutir como o diretor-geral da PF vem administrando a instituição e “o tratamento dispensado pelo governo à classe e à autonomia reivindicada em lei para realizar investigações”, diz a nota.
Ainda de acordo com o informe, a manifestação, que será realizada por meio de assembleias dos delegados federais em seus respectivos Estados, não vai prejudicar os serviços da PF.
A iniciativa faz parte da campanha nacional em prol de uma Polícia Federal mais autônoma, realizada pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), que defende os seguintes pontos: aprovação da lei orgânica da Polícia Federal; a eleição para o Diretor-Geral da instituição; maior autonomia administrativa e orçamentária; criação de um gatilho de concursos públicos e a criação de unidades especializadas no combate à corrupção.
Os resultados das assembleias serão divulgados em um documento público com o posicionamento  dos delegados federais sobre a situação atual da PF.

Zé Carlos apoiará Helder no segundo turno

José Carlos Lima da Costa, o Zé Carlos do PV, anunciou em coletiva no início da tarde desta sexta-feira (10) apoio à candidatura de Helder Barbalho ao Governo do Pará no segundo turno das Eleições 2014. Zé Carlos, que foi o terceiro mais votado no pleito, com 44.247, é o segundo ex-candidato que declara apoio oficial a Helder.
Em entrevista à reportagem do DOL, Zé Carlos afirmou que a escolha ocorreu na quinta-feira (09), na reunião da executiva do Partido Verde (PV), em Belém. Pela proximidade de algumas propostas, como escola em tempo integral, apoio a pequenas e médias empresas e apoio às populações mais pobres, a escolha pelo candidato do PMDB não foi aleatória.
Ainda de acordo com Zé Carlos, o apoio a Helder era um caminho natural. "Defendemos a alternância de governo, até porque o governo que aí está, está há anos e precisa ser modificado. Além disso, todos os candidatos que foram derrotados pediam mudança e, por coerência, a mudança está com o candidato Helder. Todos nós somos herdeiros da mudança, e a mudança é Helder", finalizou.
Na última quarta-feira (08), Elton Braga, do PRTB, também anunciou o apoio a Helder. A campanha está sendo reforçada ainda por Jefferson Lima, segundo candidato mais votado ao Senado pelo Pará e que decidiu sair da coligação “Juntos com o povo”, de Simão Jatene.
 
Blog do Andrey Monteiro - Template desenvolvido por Sonic Artes